F

Últimas notícias

Madeira apresenta "bomba" de Biassion para o Rally Legend

A organização disponibilizará imagens como estas para os aficionados guardarem e poderem ser autografadas por Biassion

O carro que o piloto italiano Massimo Biasion conduzirá no Raly Madeira Legend, que decorrerá nos próximos dias 29 e 30, foi revelado esta tarde no Club Sports Madeira. Trata-se do Lancia Delta S4 do Grupo B que ostentará na Madeira as cores da HF Grifone com que Fabrizio Tabaton venceu na ilha em 1986.

Paulo Fontes, presidente da Comissão Organizadora do Rally Madeira Legend, referiu que, neste momento a lista de inscritos tem cerca de cinco dezenas de viaturas, contando com cerca de 30 da Região e cerca de 20 do continente e de vários países europeus, que darão aos aficionados da Madeira a possibilidade de reverem alguns carros com história nos ralis do final dos anos setenta e anos oitenta.

Por seu turno, o secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus Eduardo Jesus sublinhou a importância para a Madeira ter uma prova com as caraterísticas do Legend e evidenciou igualmente ser “fundamental a Madeira estar nos radares internacionais deste tipo de provas”.

“Miki” Biasion, atualmente com 63 anos de idade, venceu o Rali Vinho da Madeira em 1983 numa fase ascensional de uma carreira em que representou vários construtores em que obteve quatro importantes títulos europeus e italiano naquele mesmo ano em que tripulou um Lancia 037, e o mundial em 1988 e 1989, ambos ao volante de um Lancia Delta Integrale.

O piloto, depois de abandonar os ralis, fez também várias incursões pelo todo-o-terreno e Dakar.

O Lancia Delta S4 de Tabaton
(créditos Club Sports Madeira)

O Lancia Delta S4 que ostentará na Madeira as cores da HF Grifone com que Fabrizio Tabaton venceu na ilha em 1986, é o último modelo homologado no grupo B para ralis e é, como tal, também considerado uma das viaturas mais sofisticadas tecnicamente naquele agrupamento. 

Vencedor de várias provas do WRC com Henri Toivonen e Markku Alen, este modelo da Lancia tinha um motor central traseiro de 4 cilindros com 1.759 cc e, dotado de um compressor volumétrico para as baixas rotações e um turbocompressor para o regime de potência, debitava, segundo versões não oficiais, cerca de 600 cavalos. Com um peso mínimo regulamentar de 960 kg, estava dotado de tração integral.

Sem comentários